Isaac e Abel

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Third Birthday tickers

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

100% ecológico? Não dá

Hoje em dia existem centenas de sites sobre ecologia, como ser mais ecológico, como diminuir a pegada ecológica, receitas, truques e dicas para tornar as coisas ecológicas, mas a verdade é que se formos analisar as coisas bem a fundo, não dá para ser 100% ecológico.

Se trocarmos os nossos produtos de higiene e de limpeza por outros à base de produtos naturais (ervas, plantas e derivados) estamos a fazer bem ao ambiente porque não estamos a contaminar as águas, nem a nós próprios com os componentes químicos desses produtos.

Mas se pensarmos bem, se metade da população de cada país começasse e ir ao campo apanhar ervas, plantas e frutos para fazer coisas caseiras e naturais, o nosso ecossistema ficava gravemente prejudicado. Se a procura fosse muita ia haver a necessidade de haver viveiros e estufas para cultivar essas mesmas plantas com tendência a crescer de forma espontânea. Logo, isso ia implicar custos e gastos de energia.

Temos também o exemplo das fraldas reutilizáveis. O investimento inicial é muito grande, um pack de 10 fraldas anda à volta dos 170€, é verdade que essas mesmas fraldas podem ser utilizadas indefinidas vezes, e o que se vai gastar em fraldas descartáveis com uma criança certamente vai superar em muito este valor, logo compensa, além disso ainda se deixa de produzir lixo (uma fralda demora cerca de 500 anos para se degradar completamente). Estamos a ser ecológicos. Por outro lado, durante os anos em que a criança vai precisar de fraldas, quantas vezes é que vão precisar de ser lavadas, quanto se vai gastar em água, electricidade e energia para poder voltar a usar as fraldas? Mesmo que o detergente seja ecológico, tem sempre custos para a carteira, e a electricidade? E se for Inverno e houver a necessidade de serem secas na máquina? Por um lado estamos a ser ecológicos, mas por outro, nem por isso...

Para podermos ser verdadeiramente ecológicos, tínhamos que adoptar um estilo de vida completamente diferente do que temos. Tínhamos que plantar os nossos alimentos e plantas, viver perto de um ribeiro e ter um gerador movido a energias renováveis.

Não digo para não termos preocupações ambientais, devemos ter e fazer os possíveis para termos boas atitudes com o ambiente, mas por mais que demos voltas à cabeça, quando ajudamos num lado prejudicamos no outro. É mais útil termos pequenos hábitos, como desligar os aparelhos eléctricos no botão, reciclar e aproveitar as água e reduzir o seu consumo, do que querermos fazer grandes coisas que a uma escala muito grande não iria dar resultado.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Cebolas do campo


Que os produtos do campo nada têm a ver com os dos hipermercados já todos sabemos, o que eu não sabia é que as cebolas do campo podiam ser tão agressivas...

Aqui à dias, fizemos lá em casa umas tostas com "tudo e mais alguma coisa" em que um dos ingredientes era umas rodelas de cebola. Acontece que eu tive a sorte de trincar um pouco dessa cebola e posso dizer que vieram-me as lágrimas aos olhos de tão ácida que era. Nunca me tinha acontecido tal coisa.

Recentemente, resolvi picar uma dessas mesmas cebolas para um refogado, e, pensava eu que já estava imune à acidez, chorei que nem uma Maria Madalena, as lágrimas corriam-me literalmente pelo rosto, fungava, e chorava, chorava, até fiquei com o nariz vermelho.

Aquelas cebolas são violentas...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Frio


Estou desejando que venha o frio a sério para ficar assim.

Prevenir

Já deve ser do conhecimento de todos, que certos bens essenciais vão passar a ter um IVA de 23% em vez de 6%. Refilar alivia a fúria mas não serve de nada, porque o mais provável é as coisas irem mesmo para a frente e o Zé Povinho que se aguente.

Já que há coisas que vamos ter que continuar a consumir, que tal se começarmos já a encher a despensa com enlatados, leite com chocolate e sumos, (entre outras coisas), é melhor não esperar para Dezembro para começar a fazer estas compras, o mais provável é toda a gente pensar o mesmo e depois está tudo esgotado.

"Em terra de cegos quem tem olho é rei." Eu cá digo, em tempo de crise quem é esperto é quem se safa! Cada vez mais é preciso esperteza e ginástica mental para gerir o nosso orçamento.

Eu hei-de conseguir, cada um que acredite em si próprio, já é meio caminho andado.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Sinais

Á medida que os anos passam (apesar de ainda serem poucos) vão nascendo pequeninos sinais no corpo, onde dantes não havia nenhum. Porquê?
Será só comigo?

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

National Geographic celebra o Outono

Maple Tree, Utah

Shenandoah Valley, Virgínia

Central Park, New York

Japanese Maple, North Carolina

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Trabalhar em casa

Não sei se é boa ideia. Associo a minha casa a um lugar de descanso e de prazer, se tivesse que trabalhar em casa, poderiam acontecer duas coisas: ou gostava mais do que fazia porque estava num espaço confortável, ou então ficava com aversão à casa por a associar a um local de trabalho. Se bem que, ter uma profissão da qual se possa trabalhar a partir de casa, significa também uma certa liberdade.
Era uma experiência interessante e curiosa, então se fosse a fazer aquilo com que tanto sonho...era fantástico. Um dia.

Um dia.

6ªFeira Fatídica


Orçamento de estado, aumento dos medicamentos, auto-estradas da SCUT, enfim. Pouco se pode dizer, a ver vamos...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Lembram-se?


No meu tempo era o gelado mais caro do precário, custava 200$. Voltou agora numa edição limitada. Aproveitem!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Diário de um Vampiro

Não sou muito fã de séries de vampiros, mas desta gosto. Será que é por causa do excelente argumento da série ou será por causa dos dois protagonistas, Ian Somerhalder e Paul Wesley,os irmãos Salvatore? Não sei não...

Livros

Um dia.
Acredito que vai ser assim. Mas não vou ser eu a ler.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Parem de dizer mal!

Oiço constantemente as pessoas a dizerem mal do tempo que está. Nunca está bom, se faz sol está muito calor, se está frio tem que se vestir muita roupa, se chove é porque molha os pés, se está vento é porque despenteia, há sempre um problema.
Temos que perceber que todas as manifestações meteorológicas são necessárias para a Natureza, é claro que o vento em exagero provoca estragos, mas na quantidade certa é útil para espalhar as sementes e fazer a polinização. O calor pode ser muito perigoso mas sem ele nada cresce, o mesmo se passa com a chuva, sem água nada vive. Até o frio é necessário, pois há certas plantas se desenvolvem com o frio e durante o Inverno, como por exemplo as túlipas (para quem quiser este mês é altura de as plantar).

Vamos ter consideração por aquilo que a Natureza nos dá, se está a chover vamos ficar agradecidos por isso para que a chuva encha as barragens e não nos falte água no Verão. Arranjem um bom motivo para não dizerem mal do tempo, só nos faz é ficar deprimidos e nada resolve.