Isaac e Abel

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Third Birthday tickers

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Natal sincero

Por todos os canais de televisão vemos promoções de 50% nos artigos de Natal, descontos em cartão nos ingredientes para a consoada, mais descontos no bacalhau e nos brinquedos, tudo isto devido à crise que está instalada, e nesses anúncios colocam a palavra família ou um grupo de pessoas muito felizes por terem ido fazer comprar naquele supermercado e poderem ter a mesa cheia na mesma. É uma hipócrisia, a eles não lhes interessa nada o significado de família ou de Natal, e não é por lá irmos fazer compras que a família vai ficar mais feliz e o peru vai saber melhor.

Agora com o a crise é que se vai ver quem consegue festejar um verdadeiro Natal, é quando não há dinheiro para comprar presentes, nem sequer um bolo-rei para por na mesa da consoada, e em que a única coisa que temos para oferecer é uma lareira acesa, um café ou leite quente e um jogo de tabuleiro, que vamos ver como é festejar o verdadeiro Natal em família e dar o devido valor à nossa Família, que não têm de ser aqueles que nos estão relacionados por parentesco de sangue, mas que são todos aqueles que estão sempre connosco em todos os momentos, com quem podemos sempre contar e que podem contar connosco.



Podemos sempre encontrar alegria nas pequenas coisas, naquelas que o dinheiro não compra.

Sintra sem luzes

Este ano Sintra, não só a vila como todo o concelho, não tem luzes de Natal, num sítio ou outro ainda aparece um arco iluminado a dar as Boas Festas, ou uma rotunda com uma árvore de Natal em luzes, nem mesmo o centro da vila de Sintra, património da Humanidade, tem uma luzinha, ou uma decoração, nada! Por um lado até acho bem que reduzam a quantidade de luzes que iluminavam todos os cantinhos e que ficavam ligadas desde o início de Novembro, mas acho que só se tem a perder em não iluminar o centro histórico da nossa sede de concelho. Nem que as luzes fossem só para duas ou três semanas. As luzes parece que são o que traz a magia do Natal para as ruas, e este Natal não tem sido nada mágico.

É triste, é muito triste. Não sabemos viver com muito nem sabemos viver com pouco.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A maior prenda...

...vem depois do Natal. E depois do ano novo. E esperemos que depois deste dia não demore muito a chegar, isto de andar com barriga de Pai Natal faz doer as costas.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011